Beyoncé cita Madonna e Michael Jackson como inspiração em artigo da Reuters

21 de julho de 2011. O autor deste post é Roberta.
O site da agência Reuters publicou uma matéria sobre o novo filme de Beyoncé, “A Star is Born”. No texto, a cantora fala sobre a oportunidade de trabalhar com Clint Eastwood e conta seus planos para o futuro de sua carreira, além de citar Michael Jackson e Madonna como exemplos profissionais a serem seguidos. Confira o artigo traduzido abaixo:

Beyoncé diz ter ganhado o dia por causa do filme de Clint Eastwood
Beyoncé Knowles já conseguiu tudo antes dos 30 e, ainda assim, ela chama humildemente de “a maior oportunidade da minha vida” o papel principal no remake do filme “A Star is Born”, que será dirigido por Clint Eastwood.

A cantora, – e aprendiz de atriz – cujo quarto álbum solo, “4”, estreou em Nº 1 nos charts depois de seu lançamento em junho, disse a Reuters que se sentiu sortuda de ter sido escolhida para interpretar o papel que já foi de Barbra Streisand e Judy Garland.

Eastwood dirigirá o quarto remake do filme que a história da cantora e atriz emergente Esther Blodgett. Beyoncé se lembra de quando era pequena e assistia às outras versões do filme com sua mãe.

“Foi quando me tornei fã de Barba Streisand. E quando eu vi a versão de Judy Garland, percebi que a cada 20 ou 30 anos nasce uma nova estrela e um novo talento que representa uma geração e uma era – nunca pensei que eu teria a oportunidade de ser essa estrela,” ela disse.

Beyoncé já ganhou 16 prêmios Grammy, é casada com o rapper Jay-Z, esteve no topo da lista da revista Forbes das celebriades mais poderosas e influentes do mundo e é uma das cantoras que mais lucram atualmente. Ela já estrelou outros filmes, como o muito elogiado “Dreamgirls”, mas diz que conhecer o vencedor do Oscar Eastwood a fez estremecer.

“Me encontrei com Clint e estava muito nervosa. Eu sabia que essa era a maior oportunidade da minha vida. Trabalharei o máximo que puder,” ela diz. “Porque mal posso esperar. E estou muito feliz que ele confie em mim. Estou em boas mãos e sou muito sortuda.”

O filme começará a ser filmado no final do ano e, de acordo com o site Deadline Hollywood, pode contar também com a presença de Leonardo DiCaprio. Mas, por enquanto, Beyoncé ainda está ocupada gerenciando sua carreira na música, agora que seu pai e empresário de longa data Matthew Knowles não ocupa mais o cargo.

A indústria da música acompanha a mudança de perto. Sem se dirigir diretamente a seu pai, Beyoncé disse que foi “difícil equilibrar negócios e criatividade.”

“Equilibrar os dois é realmente difícil e quero ter certeza que ainda faço meu trabalho completo, que é ser uma performer e uma entertainer e não fazer o trabalho dos outros para que o meu lado não seja prejudicado. Tem sido um desafio,” ela disse.

Ela adicionou: “Durmo com meu blackberry, sonho que estou respondendo e-mails, a coisa chega a esse ponto!”

Apesar de “4” ter estreado em #1, sua primeira semana de vendas foi a menor dentre seus quatro álbuns solo e os singles “Run the World (Girls)” e “Best Thing I Never Had” não foram tão bem quanto seus outros hits, como “Crazy In Love”, de seu primeiro disco, e “Single Ladies (Put a Ring on It)” e “Halo”, do terceiro.

A cantora nascida em Houston, que inicialmente experimentou a fama com o grupo feminino Destiny’s Child, disse que quis fazer um álbum coeso quando trabalhou em “4”.

“Esse álbum foi um trabalo de amor. Não se trata de singles,” ela diz. “Eu senti que faltava emoção, instrumentos de verdade e alma na indústria da música, especialmente em se tratando de música popular. Eu quis trazer de volta algumas coisas que cresci ouvindo. É uma mistura dos anos 90 com os anos 70 e com o rock’n’roll.”

Beyoncé diz que o vídeo de “Run the World (Girls)” é seu preferido atualmente, mas confessa que o preto-e-branco “Single Ladies” – que mostra ela balançando o quadril em um maiô preto – fica em segundo lugar por pouca diferença.

O vídeo “foi algo que ninguém sabia que se tornaria o fenômeno que foi, graças a Deus. E sei que sou sortuda de ter esses momentos em minha carrerira. É uma benção.”

Ela começou a tomar conta de sua carreira – desde a performance nas tunês até os vídeos – para servir de exemplo a estrelas mais jovens que começaram agora suas carreiras, ela diz, citando uma das suas maiores influências, Michael Jackson.

“Eu sinto que ninguém pode me dizer como eu devo me apresentar, e é isso que separa os Michaels e as Madonnas dos artistas que são bons, mas não são Michaels e Madonnas,” Beyoncé diz.

Enquanto alguns se perguntam se o sucesso subiu a sua cabeça, Beyoncé parece não ter seu ego tão inflado como muitos outras estrelas do pop e disse que, conforme os anos forem passando, ela viverá através de outros artistas.

Como ela faz 30 anos em setembro, o que será que ela alcançará, digamos, aos 60?

“Tenho certeza que aos 60 eu não farei a dança “oh-oh-oh”, não ia ficar bonito,” ela ri, se referindo à coreografia de “Single Ladies”. “Acho que a minha prioridade serão meus filhos e, espero, meus netos – e minha gravadora ou empresa de produção ou o que quer que seja.”

Por Christine Kearney

Clique aqui para ler o texto original em inglês.

4 comments on “Beyoncé cita Madonna e Michael Jackson como inspiração em artigo da Reuters

  1. Gente… Quero que a Bey seja Eterna … Uma Deusa eu quero envelhecer vendo suas performances, shows , ouvindo musicas e etc mesmo q ela tenha q passar dos 80 ainda cantando BEY PARA COM ESSAS BRINCADEIRAS DE MAL GOSTO !

  2. O MICHAEL JACKSON, INSPIRA E SEMPRE INSPERARA MUITOS ARTISTAS DESSE UNIVESO. O MICHAEL É UNICO, INCOMPARAVEL, INSUNBSTITUIVEL, ETERNO.
    E ACIMA DE TUDO UM SER HUMANO MARAVILHOSO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>