2010 -> Dois mil e dez foi o ano de colher os frutos de tanto trabalho na era Sasha Fierce. No primeiro semestre, Beyoncé abusou de looks bem fashionistas, com laços e babados, e cores fortes, mas sofisticadas, como o vermelho e o azul marinho. De julho a dezembro, durante seu período de férias e a gravação do disco “4”, podemos perceber os traços étnicos que influenciaram as faixas do novo CD também em suas produções, com formas geométricas bem marcadas e a presença de animal print.

2009 -> Depois de um 2008 bem sóbrio no que se refere a vestuário, Beyoncé volta a abusar das cores e estampas em 2009. As escolhas de figurino vão desde o mini vermelho estonteante usado no VMA 2009 até o colorido e divertido vestido com o qual a cantora compareceu ao BET Awards 2009.

2008 -> Depois de todo o sucesso da era B’Day e da turnê The Beyoncé Experience, os fãs tiveram certeza que a cantora tiraria férias e descansaria por um tempo. Não podiam estar mais errados: em 2008, Beyoncé lança seu terceiro álbum solo, I Am… Sasha Fierce, e volta a frequentar os tapetes vermelhos das premiações. Depois de um 2007 dourado e prata, a escolha da agora Sra. Jay-Z são os vestidos pretos glamurosos, sempre acompanhados de um acessório “sashafierceano”, como a luva do clipe de Single Ladies ou topete que ela ostenta no mesmo vídeo.

2007 -> O ano de 2007 pode ser considerado um dos mais importantes para Beyoncé em termos de premiações, pois foi quando a mesma recebeu sua primeira indicação ao Globo de Ouro de Melhor Atriz, por Dreamgirls. Em 2007, Beyoncé usou mais dourado e prateado do que em qualquer outro ano. Ganhou o prêmio de Mulher Mais Bem Vestida do Show Bizz em 2007, confimando o posto de ícone fashion que já possui há tanto tempo.

2006 -> Solo novamente, Beyoncé arrasou 2006. Com o lançamento de seu segundo álbum solo, B’Day, ela esteve constantemente em premiações, ora se apresentando, ora sendo premiada, quando não os dois. As roupas vestidas pela cantora nos tapetes vermelhos em 2006 foram, em sua maioria, de marcas famosas, como Armani, preferida de Beyoncé. Também tiveram lugar peças da House Of Déreon, marca de roupas da estrela com sua mãe e também estilista, Tina Knowles.

2005 -> Em 2005, apesar da volta das Detiny’s Child, Beyoncé continuava a receber prêmios por seu álbum solo, apesar deste já estar fazendo dois anos de lançamento. Segundo as integrantes do grupo, Destiny Fulfilled foi seu último álbum, para fechar sua carreira em grupo com chave de ouro. Também neste ano, Beyoncé e sua mãe lançaram sua própria marca de roupas, a House Of Déreon. A partir daí, grande parte das roupas usadas pelo trio estava sob etiqueta da HOD, e algumas peças vestidas pelas cantoras viraram itens de linhas da marca.

2004 -> Em 2004, Beyoncé ainda estava colhendo frutos (e prêmios) de seu primeiro álbum solo, Dangerously In Love. Se isso era possível, ela conseguiu subir mais um patamar no jeito diva de se vestir, sabendo também dosar a informalidade em prêmios populares, como o MTV’s TRL Awards. No final de 2004, as Destiny’s Child se juntam novamente, lançando seu quarto álbum de estúdio, Destiny Fulfilled, e voltando a aparecer publicamente juntas, inclusive em entrega de prêmios, fazendo o antigo esquema de roupas combinando voltar com toda a força e dando início a segunda fase DC

2003 -> Podemos chamar 2003 de “The Beyoncé Year”. Com certeza, Beyoncé foi a artista mais comentada durante o ano, no qual lançou seu primeiro álbum solo, Dangerously In Love, o qual ganhou 5 Grammys
em apenas uma noite. Dangerously In Love ganhou muitos prêmios além dos Grammys, como os EMAs, AMAs, VMAs, entre outros. Beyoncé começou a adotar o estilo diva de se vestir na hora dos tapetes vermelhos, usando e abusando de vestidos clássicos de marcas famosas, como Aramani e Versace.

2002 -> O ano de 2002 foi o ano em que terminou a primeira fase das Destiny’s Child. Já voltadas para suas respectivas carreira solo, Kelly, Michelle e Beyoncé já não lançavam mais coisas como grupo, e já começavam a seguir cada uma o seu caminho. No final do ano, Beyoncé adotou o penteado de sua personagem em Austin Powers: o Homem do Membro de Ouro para promoção do mesmo. Já era o pequeno início de uma carreira solo brilhante.

2001 -> Podemos dizer que 2001 foi o melhor ano das Destiny’s Child. Com o grupo estabilizado, as meninas lançaram o álbum Survivor, o de maior sucesso da carreira delas, e o que fez elas atingirem o status que possuem hoje em dia. Como sucesso e vendagens atraem prêmios, em 2001 as DC foram frequentadoras assíduas dos tapetes vermelhos de Hollywood. Sempre usando e abusando das cores fortes e chamativas, elas faziam tanto sucesso nas premiações quanto nas rádios. Os figurinos, ainda assinados por Tina Knowles, iam dos mais clássicos, em premiações mais formais, até roupas mais despojadas, como calças jeans, em premiações populares como o Rock The Vote e o Kid’s Choice Awards.

2000 -> O ano de 200 foi um ano de grandes mudanças para as DC. Com a saída de Letoya Luckett, LaTavia Roberson e Farrah Franklin, e com a entrada de Michelle Williams, o grupo passou por tempos difíceis e foi vítima de muitas fofocas em revistas. Mesmo com as dificuldades, as meninas não perderam a pose, e continuaram indo às premiações totalmente estilosas. Neste ano, começaram a adotar um estilo mais clássico, condizente com suas idades: já não eram mais as mocinhas de antes.

1999 -> No ano de 1999, as Destiny’s Child lançaram seu segundo álbum, “The Writings On The Wall”. Continuaram com o mesmo esquema de vestuário dos anos anteriores: roupas combinando, e quase sempre
assinadas pela mãe de Beyoncé, também estilista do grupo, Tina Knowles.

1998 -> Começando a carreira, com as Destiny’s Child, Beyoncé ainda era muito nova e, como ela mesma já disse, ainda não tinha muita opinião sobre moda na época. Para marketing do grupo, as quatro integrantes
do DC se vestiam do mesmo jeito em entregas de prêmios. Roupas diferentes, mas o mesmo tipo de panos e estampas, combinando.

Agradecimentos a Beyoncé
World
, pelas fotos mais antigas.

Thanks to Beyoncé
World
, for the older photos.