Home Entrevistas traduzidas de Beyoncé para revistas Essence – Julho de 2011

Essence – Julho de 2011

Revista: Essence
Fotos: Ruven Afanador
Edição: Julho de 2011
Resumo: Beyoncé fala sobre suas férias e o ano de 2010, que mudou sua vida.
Tradução e adaptação: Rian Guimarães
Beyoncé: O ano que mudou minha vida 

Ela é notoriamente privada. Por anos, a única parte pessoal que conseguimos da vida de Beyoncé (que já ganhou dezesseis prêmios Grammy e já fez seis papéis em filmes) são as fotos de paparazzi, mostrando sua fabulosa vida: os iates, as compras, os lugares na primeira fila, ao lado de seu amado, Jay-Z. Ainda, para entender Beyoncé, você tem que viajar dentro de uma de suas memórias mais preciosas – como todo ano a Mamãe e o Papai Knowles levavam suas filhas ao Houston Livestock Show and Rodeo, um espetáculo que transborda classe e estilo.

Agora, com uma vida repaginada com seu próprio brilho e reconhecimento, a caminho do seu próximo álbum, “4“, Beyoncé está provando um novo tipo de poder. Após 15 anos trabalhando ao lado de seu pai, ela decidiu tomar as rédeas de si mesma.  Ela passou nove meses viajando pelo mundo e avaliando a balança entre o trabalho e a diversão. Ela também teve a oportunidade de escrever sua primeira entrevista porque, ela diz, “depois de fazer várias entrevistas em minha carreira… com ninguém me fazendo perguntas, o que eu diria?”

Confira a entrevista exclusiva para a revista Essence:

Sempre que trabalho com a Essence, sinto-me em casa. A colaboração sempre flui bem e, esse conceito de Rodeio, trouxe-me de volta aos dias em que eu estava crescendo em Houston, no Texas.  Eu tinha um par de botas de cowboy rosa, que você podia pensar que eram coladas nos meus pés. Minha mãe me implorava para tirá-las! Lembranças como essa eu vou guardar para sempre. Eu especialmente guardei a memória de Frankie Beverly e Maze se apresentando no Houston Livestock Show and Rodeo, foi tipo, o maior piquenique em família. Tinha risos e músicas por todos os lugares, e todo mundo estava vestido com trajes típicos. Eu amei assistir as pessoas. Nós podíamos comer “snickers” fritos, “bolos de funil”, e coxas de peru fritas; o cheiro era a melhor mistura de suave e picante.

Também passei maravilhosos dias no “Headliners”, o salão onde minha mãe trabalhava – e que era dona também.  Dos seis aos nove anos de idade, eu fazia shows para as mulheres que queriam alisar e cachear seus cabelos e uma boa conversa. Eu ajudava a varrer o cabelo do chão por gorjetas, que pagariam os meus ingressos do Six Flags – parque de diversões local – (Eu ainda amo um bom passeio de montanha russa). E quando eu não estava limpando o salão, eu assistia minha mãe tornar-se um grande exemplo.

Rainha de seu Rodeio

Tina Knowles foi o meu primeiro exemplo do que é ser uma mulher poderosa. Ela não moldou meu pensamento pelo que dizia, mas sim, por aquilo que fazia. Ela trabalhava 13 horas por dia, gerenciava sua equipe, fazia cabelo e ainda dava conselhos de graça para suas clientes. Ela dizia para as mulheres lembrar-se de seu valor e que não podiam trabalhar tantas horas e não se cuidar. Minha mãe trabalhou até ter calos em seus dedos e os pés esfolados. Ela ainda encontrava tempo de decorar a casa dos amigos e fazer vestidos de casamento e baile. Ela levava minha irmã Solange e eu para nossas aulas de dança e recitais. Cozinhava refeições deliciosas para a gente e nos levava à igreja. No domingo era o dia da família. Periodicamente.  Ela trabalhou duro por sua família e nunca reclamou. E não parou. Até hoje, com a sua linha de roupas, minha mãe está aqui por nós, em nossos shows, gravações de vídeos, e em todos os momentos da vida de seu neto, Julez.  Ainda estou descobrindo como ela equilibra tudo isso e faz tudo parecer fácil.

Minha mãe me ensinou os princípios de trabalho duro, ter objetivos e visualizar meu futuro. Nos primeiros dias de Destiny’s Child, eu entendi que tinha que ser focada e dedicada se eu quisesse sucesso de verdade. Nós fomos ensinadas que precisávamos de um plano e disciplina para executar este plano. Eu acredito fortemente que se você trabalhar duro, qualquer coisa que você queira, vai conseguir. Eu sei que é mais fácil dizer do que fazer, mas continue tentando.  Antes das Destiny’s Child fechar contrato, nós fomos mandadas embora de várias gravadoras. Então, quando eu tinha 13 anos, nós tínhamos fechado, mas depois, fomos despedidas. No Star Search, nós perdemos, ficamos devastadas, mas continuamos tentando.

Essa atitude de nunca desistir me manteve focada em ajudar as pessoas a realizar seu potencial. Eu abri uma escola de Cosmetologia em março de 2010, chamada “The Beyoncé Cosmetology Center”, que fica na Phoenix House Career Academy, no Brooklyn. A academia é para mulheres e homens que estão em tratamento antidrogas. Eles aprendem habilidades que os prepararão para a vida após a recuperação. Com apoio, todos têm uma chance de realizar seus sonhos.

Trabalhando dia e noite

Dos tempos do meu primeiro álbum, até a minha última turnê, que terminou em fevereiro de 2010, eu tenho estado constantemente na estrada, em estúdio, gravando filmes, ou fazendo promoções na Europa, Ásia, Oceania ou dentro do país. Após trabalhar tanto, eu quis férias – de verdade. Mas para conseguir isso, tive que ter um pouco de paciência e trabalho duro.

Eu tenho minha mãe como inspiração – após tudo, ela foi a única que me fez perceber que precisava de balanço. Ela trabalhou duro, mas encontrou tempo para tirar férias, passar o tempo comigo e com Solange, ir para concertos e jantares. E sempre, sempre, sempre, parecia linda. Eu ainda posso ouvir seus saltos enquanto ela andava pela casa e passava seu perfume.

Então, no verão de 2006, após lançar o meu segundo álbum, “B’Day”, eu convoquei uma reunião com as “pessoas chave” da minha gravadora e que gerenciavam minha carreira de atriz. Assim que chegamos a uma sala de reuniões em Los Angeles, eu pedi o calendário. Tivemos que agendar o lançamento do álbum, a promoção de “DreamGirls”, aparições na TV, turnê promocional, gravações de vídeo, ensaios para revistas e a imprensa intenacional. Por anos, meu itinerário estava completo, da noite ao dia. Não estou reclamando. É o que tenho que fazer para obter sucesso. Mas também, só aproveitei o meu sucesso depois de um bom tempo. Depois de todos os compromissos com meu trabalho estavam marcados e confirmados. Tive duas ou três semanas para mim – um tempo legal, mas não foi as férias que eu estava precisando.

No “B’Day” entrei em turnê com a “The Beyoncé Experience”, de abril à novembro de 2007, o que foi quase um ano viajando o mundo. Então, após a turnê, comecei a gravar o “I Am… Sasha Fierce”. Em 4 de abril de 2008, eu casei e então me voltei para o lançamento do álbum, que seria feito em novembro aquele ano.  No verão, eu estava fotografando as promocionais do álbum e capas de revistas, além do vídeo para “Single Ladies (Put a Ring on It)”. Nós gravamos o vídeo no dia em que mais fez calor em Nova Iorque, em um estúdio sem ar-condicionado.

De qualquer maneira, eu fiz um esforço melhor para relaxar. Eu tinha viajado bastante à trabalho. África, Europa, Ásia, Oceania e o Caribe. Mas nunca tive um bom tempo para me aprofundar na história destes lugares. Quando comecei a “I Am… World Tour” em março de 2009, eu fiz questão de explorar cada cidade que visitei. Assim que marcávamos as datas da turnê, nós agendávamos outras datas de folga para a banda e a equipe. Eu indexei estas como nossas “dicas de turismo”. Egito foi o melhor. Quando visitei as pirâmides, eu tive uma experiência que nunca esquecerei: Eu comecei a cantar “Ave Maria” dentro dela. A profundidade da tumba era incrível. Nunca ouvi uma acústica tão limpa. Minha voz soou muito pura. Foi surpreendente. Podia ficar ali para sempre. Tudo que pude dizer foi “Obrigada senhor por esta experiência”.

Durante o nosso show em Port Ghalib, no Egito, em 9 de Novembro de 2009, algo aconteceu que inspirou algumas letras do meu novo álbum “4” (que está vindo em algumas semanas).  Eu estava no meio da performance de “Irreplaceable”, e o público começou a cantar, “to the left, to the left”, e havia uma mulher sentada no ombro de um rapaz, usando a sua burca tradicional completa. Apenas seus olhos e mãos eram visíveis. Ela estava balançando suas mãos para a esquerda e cantando cada letra – pude ver pois o véu em seu rosto estava se movendo. Mesmo com o local cheio, eu podia a enxergar no público. Eu estava chocada dela estar ali, de ela poder ir a um show, pois assim que a noite cai, as mulheres de burca não podem sair às ruas. Então, sua presença foi muito marcante para mim. Testemunhando o poder, beleza e força das mulheres – especialmente aquelas que vivem em lugares onde sua liberdade é limitada – isso foi o que mais mexeu comigo. Senti como se ela tivesse sua religião, e que isso é importante para ela. Mas que a música também tem um espaço em sua vida e ela fez uma escolha em estar ali.

Após terminar a tour em Trinidad, em Fevereiro, finalmente eu me foquei em ter um tempo livre. Já tinha falado sobre tirar férias antes, mas sempre terminava no estúdio depois de duas semanas, então ninguém acreditava em mim. Desta vez, eu falei sério. Dei-me um ano para fazer as coisas que eu nunca pude fazer. Coisas simples, como brincar com meu sobrinho, pegá-lo na escola, visitar museus, ir a shows, ver espetáculos da Broadway, aprender a cozinhar e passar tempo com meu marido. Minha prioridade era salvar cada momento. Sim, eu precisava relaxar, mas eu também queria inspiração, simples, coisas do cotidiano. Não precisam ser coisas de topo de linha. Eu procurava pequenos momentos em que poderia falar com meu coração e sorrir.

Começando a exalar

Na última primavera e no último verão fui a vários shows diferentes, pois há um bom tempo, imagino como é ser uma fã em um grande show. Amei tudo – ritmos africanos, R&B dos anos 80, rock, reggae – e não há nada melhor do que vivenciar a incrível música ao vivo. Eu decidi viajar para alguns festivais de música, que só tinha ouvido sobre: Wireless Hyde Park, em Londres; T in The Park, na Escócia, Bonnaroo no Tennessee e Coachella em Palm Springs. Aproveitei as maravilhosas performances de artistas diversos, incluindo Muse, The Dead Weather, Stevie Wonder e Rage Against the Machine.

Visitar um país sem o itinerário foi muito atraente para mim. Após alguns dias em Auckland, em Nova Zelândia, para o início da turnê de meu marido, eu fiquei na Austrália por cinco semanas. Minha agenda é sempre cheia, e sempre faz com que eu fique apenas dois dias em algum lugar, então, foi ótimo ficar por algumas semanas. Não tinha planos, a não ser entrar nos sites das cidades de Melbourne, Brisbane, Perth e a minha favorita, Aussie, em Sydney. Eles têm os melhores restaurantes e o porto é maravilhoso. Foi uma experiência libertadora para mim. Minha próxima turnê pessoal foi no Japão, onde tive a idéia de me vestir como uma Harajuku – a garota japonesa que se veste como uma personagem de anime, ou com roupas góticas exageradas – e ir para alguns clubes de Tókio. Em Londres, conheci Sade, uma das minhas artistas favoritas. Eu a amo e admiro por longa data. Na Rússia, encontrei uma joalheria vintage e vi o balé “O Lago dos Cisnes”. Mas como é estar no estrangeiro sem provar a comida? Por toda Itália, as ruas cheiram a sorvete. Em Paris, meu sobrinho Julez e eu tivemos escargot como almoço. Na verdade, foi gostoso – Não tão gostoso quanto o “bolo de funil” do rodeio em Houston. Em Capri, comia pizza e bebia vinho vermelho todo domingo. Descobri que amo alcachofrase que salada e peixe fresco não são apenas saudáveis, mas também, incrivelmente deliciosos.

Sou atraída pelo oceano. Pular de um iate (essas fotos deixam minha mãe louca; ela acha perigoso), nadar, mergulhar no Mar Vermelho (nunca vi peixes tão lindos!), ou apenas caminhar pela areia, o mar tem um efeito calmante sobre mim.

A Croácia tem um dos mares mais bonitos – mesmo que seja a água mais salgada que eu já provei. Boiei por quase uma hora no Mar do Mediterrâneo. Foi um dos melhores momentos da minha vida.

De volta ao trabalho

Mesmo que tenha amado minha vida no estrangeiro, confesso que comecei pensar no meu próximo álbum mais e mais. No fim, o meu ano de férias durou apenas nove meses. Mas foi o suficiente. Estou grata por poder escrever sobre essas novas experiências, e por ter novas influências musicais. Minhas baterias estão recarregadas. Comecei a por as idéias no papel devagar.

Para muitas mulheres, eu sei que planejar férias de duas semanas, um ano, é difícil. Até surreal. Mas a melhor parte do meu tempo fora foi voltar para casa, onde eu posso dormir na minha cama. Esta foi uma grande parte das minhas férias. Todo mundo pode tirar férias, decida tirar tempo para você e explore isso. Coma sozinho em seu restaurante favorito, ou aquele que você sempre quis ir. Vá para um dia no Spa em vez de ir para a manicure e pedicura. Leve um amigo para visitar a vinheria mais próxima. Estou grata pelo tempo que me dei para respirar, relaxar e me inspirar. Meu re-tratamento pessoal me deu força, e me acordou criativamente. Voltei renovada e poderosa para reavaliar minha vida e fazer coisas que farão a diferença. Por que, vamos encarar garotas, nós mandamos no mundo.

MINHAS DICAS DE VERÃO
Estando em Capri ou no Caribe, Beyoncé nos conta o que ela deve levar em uma viagem:

Quando você viaja, qual o hidratante que você usa?

Natura Brissé

Quando você está na estrada, qual produto é essencial para o cabelo?
Elnett Hairspray.

O que você embala?
Crazy & Pray está na bolsa para quando for preciso.

Quantas roupas de banho você leva?
Uma para cada dia, com muitas jóias.

O que você faz para ficar sexy nas férias?
Amo me cobrir com cores brilhantes (?)

Qual sua atividade favorita para fazer em férias?
Pular de um barco, ou rochedo. E Jet Ski.

Presente favorito que você trouxe?
Um boomerang de madeira da Austrália, para meu sobrinho Julez.

Onde você ama comprar quando está fora do país?
Amo comprar em lojas vintage do Japão e da Austrália. Colette em Paris, TopShop em Londres, Bergdolf em Nova Iorque e Curve, em Los Angeles.

Quais livros e revistas você comprou?
Decoded, do Jay-Z. <3 <3 <3 <3

Qual a primeira coisa que você faz nas férias?
Shh! Nunca contarei!

Confira os bastidores do ensaio fotográfico para a revista:

Clique nas miniaturas abaixo para conferir as fotos do ensaio:


Veja os outtakes do ensaio em nossa galeria:

Confira também as captures do vídeo dos bastidores: